Pilates na incontinência urinária!



A incontinência urinária é uma condição multifatorial que afeta principalmente as mulheres em diferentes faixas etárias. Estima-se que 57% das mulheres entre 45 e 65 anos apresente algum tipo de incontinência urinária. Mas apesar da alta prevalência é ainda um assunto pouco discutido. Muitos pacientes não falam no assunto por não valorizar o problema achando que é algo natural do envelhecimento e somente procuram uma equipe especializada quando a disfunção já se encontra em grau avançado. A incontinência leva a perda da auto-estima, insegurança de frequentar locais públicos e grande parte das mulheres sentem-se humilhadas e embaraçadas para falar sobre seu problema.

Fatores de risco para Incontinência Urinária

O assoalho pélvico feminino tem como função a sustentação dos órgãos pélvicos na posição vertical, permitindo o controle da micção e a defecação, além de papel importante na função sexual, gestação e trabalho de parto

Algumas situações podem levar ao enfraquecimento desta musculatura, levando a sua deficiência funcional . São elas:

  • Gestação
  • Parto vaginal
  • Menopausa
  • Idade
  • Obesidade
  • Atividade física de alto impacto(correr, saltar)
  • Constipação intestinal crônica
  • Procedimemtos cirúrgicos na pelve
  • Radioterapia Pélvica (Tatamento Oncológicos)

Tipos de Incontinência Urinária

  • Incontinência Urinária de Esforço (IUE): é a forma mais comum de incontinência urinária em mulheres jovens, ocorre quando a pressão vesical (dentro da bexiga) excede a pressão uretral, ocasionando perda involuntária de urina. Ocorre em situações de esforço como tossir, espirrar, pular, correr entre outras. Geralmente a perda urinária ocorre sem a percepção do desejo de urinar
  • Incontinência por Urgência: é a segunda causa mais comum de incontinência urinária feminina e também o tipo mais comum em pacientes idosos de ambos os sexos. A incontinência urinária de urgência ou hiperatividade detrusora ou Bexiga Hiperativa caracteriza-se pelo desejo súbito de urinar, seguido ou não da perda de urina em quantidades moderadas a grandes.
  • Incontinência mista: presença de mais de um tipo de incontinência. Geralmente ocorre a associação da incontinência por esforço e urgência miccional.
  •  por transbordamento: é provocada por um distúrbio neurológico que afeta a contratilidade da bexiga (diminui a contratilidade do músculo dentro da bexiga- detrusor hipoativo) ou por obstrução anatômica da via se saída. Ou seja, existe uma incapacidade de esvaziar a bexiga durante a micção, o que resulta em aumento da frequência de urinar e presença de acúmulo de urina na bexiga. O transbordamento ocorre quando se atinge os limites de distensibilidade da bexiga. Ocorre em pelo menos 20% dos idosos. Clinicamente é caracterizada pela perda freqüente, quase contínua, de pequenas quantidades de urina, associada a jato fraco, hesitação (dificuldade de iniciar a micção), frequência de urinar aumentada e noctúria (acorda muito a noite para urinar).
  • Incontinência Funcional: Refere-se à incontinência que acomete pacientes sem comprometimento dos mecanismos controladores da micção. Está relacionada a incapacidade desses pacientes de atingir o toalete a tempo de evitar a perda de urina, seja por limitações físicas, transtornos psíquicos, déficit cognitivo, limitações ambientais, como, iluminação inadequada, banheiros de difícil acesso.

Tratamento

Durante muito tempo, a abordagem cirúrgica representou a solução clássica para estes desconfortos, porém, visto que o tratamento cirúrgico envolve procedimentos invasivos que podem gerar complicações e são de alto custo, atualmente tem surgido interesse crescente por opções de tratamentos conservadores (MORAIS, 2007).

E falando em tratamento conservador, o método Pilates tem vários benefícios nesta área, já que envolve a estimulação dos músculos do assoalho pélvico em quase todos os exercícios, resultando em uma melhora no ajuste postural e na posição da pelve (CRAIG, COLLEN, 2004; SILVA et al, 2005).

Logo, o equilíbrio entre a lordose lombar, os músculos transverso do abdome, multífidos, diafragma e a pelve, são os princípios básicos do tratamento de IU com a utilização do método Pilates.

www.vittalisa.com.br 4726-8522

This entry was posted in biomecânica, dor lombar, incontinência urinária, menopausa, mulher, pilates em mogi das cruzes. Bookmark the permalink.